Novo browser atravessa a censura da China, mas seu uso traz riscos

Novo browser atravessa a censura da China, mas seu uso traz riscos

Um dos dilemas de turistas e jornalistas que acabam visitando a China como acessar a internet de maneira satisfatria, quando o contedo inteiramente censurado pelo governo do pas asitico. A empresa Qihoo 360 lanou recentemente um navegador, intitulado “Tuber”, para smartphones Android, que permite o acesso a sites bloqueados pelo firewall chins – mas no sem algumas condies especficas.

Segundo informa o Techcrunch, o app, que tem uma verso para iOS prometida para “logo”, consegue fazer com que voc acesse, dentro da China e de forma completamente legalizada, sites como YouTube, Facebook e Twitter – normalmente, essas plataformas, bem como apps e jogos que o governo desaprova, so proibidas no pas, que conta com verses chinesas de cada um deles. Entretanto, o acesso no o mesmo do qual ns gozamos fora do controle chins.

Contedos que se mostrem contrrios ao governo da China, satirizem a figura do presidente Xi Jianping ou que faam meno direta ao Massacre da Praa da Paz Celestial, em 1989, esto totalmente bloqueados. Mais alm, o simples uso do app exige que voc faa um cadastro, informando um nmero de celular chins que seja atrelado ao seu nome.

Reprodu

O navegador Tuber, da Qihoo 360, permite que usurios acessem plataformas barradas pelo firewall da China, mas isso pode trazer problemas com as autoridades do pas.Imagem: Tuber/Divulgao

Ainda h o problema de “encontrar” o app: anteriormente, qualquer pessoa poderia ach-lo pela loja de aplicativos para Android da Huawei, mas a listagem do programa j foi removida de l. O prprio Techcrunch apontava para um link onde o “.apk” (extenso de arquivo relacionada a instaladores de apps no Android) poderia ser baixado diretamente, mas este tambm se encontra fora do ar.

No que isso seja uma surpresa: desde muito tempo, o governo chins considera vrios formatos ocidentais de contedo “subversivos”, censurando o acesso. A empresa que desenvolve o Tuber ainda emite o alerta de que seu uso “para visualizar ou compartilhar contedos errados” pode trazer problemas com as autoridades locais – ou seja, tem algum do governo vendo o que voc faz. Dada essa percepo, no seria estranho se o acesso a canais proibidos no territrio chins trouxesse uma reao contrria do governo ao app.

O Tuber desenvolvido por uma empresa de segurana cuja propriedade 70% detida por uma subsidiria da Qihoo 360, ento pode ser que o governo chins tenha questionado qualquer uma das trs empresas quanto validade do app ou ordenado a sua descontinuao.

Fonte: Techcrunch


Segurana browser China Censura cibersegurana cybersegurana segurana pblica segurana ciberntica segurana da informao

GarotoProdigio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *