Vida na Terra pode ter ido até Vênus ‘de carona’ em asteroide

Vida na Terra pode ter ido até Vênus ‘de carona’ em asteroide

A descoberta de fosfina, uma substncia que na Terra produzida pela atividade de bactrias anaerbicas, na atmosfera de Vnus colocou o planeta entre os candidatos a abrigar vida aliengena. Nada foi confirmado ainda, mas parte da comunidade cientfica j se questiona se a vida venusiana (se existir) como poderia estar relacionada vida terrestre?

Com base na taxa conhecida de impactos de meteoroides no nosso planeta, os pesquisadores Amir Siraj e Avi Loeb, da Universidade de Harvard (EUA) sugerem que micrbios terrestres que viviam na atmosfera podem ter pegado carona em um asteroide at o planeta vizinho. O estudo foi publicado na plataforma Arxiv.org e ainda vai passar pela reviso de pares acadmicos.

“Pelo menos 600 mil asteroides passaram na atmosfera da Terra sem serem significativamente aquecidos e posteriormente impactaram Vnus, e um nmero semelhante passou na atmosfera de Vnus e posteriormente impactou a Terra – ambos dentro um perodo de aproximadamente 100 mil anos – durante o qual os micrbios poderiam sobreviver no espao”, explicam os pesquisadores.

No se sabe ao certo o quanto de vida h na alta atmosfera da Terra, mas Siraj e Loeb acreditam que esses “semeadores” de planetas poderiam ter sido potencialmente capazes de transferir vida microbiana entre o nosso planeta e Vnus. “Como resultado, a origem da possvel vida venusiana pode ser fundamentalmente indistinguvel daquela da vida terrestre”, afirmam no estudo.

H uma chance de que reaes qumicas que nada tm a ver com a vida podem estar gerando essa a fosfina em Vnus. Mas tambm possvel que o gs esteja sendo expelido por micrbios que pairam nas nuvens de cido sulfrico do planeta. Ao mesmo tempo, muitas espcies de micrbios so incrivelmente resistentes, e facilmente sobreviveriam essa jornada interplanetria, dizem os astrobilogos.

Hipteses semelhantes conectam a vida na Terra com rochas vindas de Marte – levando alguns pesquisadores a especular que seres unicelulares daqui possam ter vindo do Planeta Vermelho. E da mesma forma, at agora, nada foi comprovado.

Os responsveis pelo novo estudo se inspiraram em episdio que ocorreu em julho de 2017. Um meteoro de 30 centmetros e 60 kg iluminou os cus da Austrlia por 90 segundos e, em seguida, retomou sua jornada pelo espao. Siraj e Loeb estimam que ele tenha coletado cerca de 10 mil colnias microbianas durante seu tempo no cu.

“O nmero total de objetos [potencialmente portadores de vida] capturados por sistemas exoplanetrios ao longo da vida do Sistema Solar est entre dez milhes e um bilho, com o nmero total de objetos com a possibilidade de micrbios vivos neles no momento de captura estimada em 10 a mil”, escreveram Siraj e Loeb em outro estudo, publicado em abril na revista Life.

Com a descoberta da fosfina em Vnus, a dupla voltou aos clculos, mas dessa vez levando em conta s os meteoroides que viajaram entre a Terra e seu vizinho mais prximo. Ao longo dos ltimos 3,7 bilhes de anos (perodo em que o cinturo de asteroides esteve estvel), pelo menos 600 mil rochas que mergulharam na atmosfera superior da Terra provavelmente atingiram Vnus depois de passar menos de 100 mil anos no espao. E outros 600 mil fizeram o caminho oposto.

Siraj e Loeb deixam claro que sua pesquisa no definitiva. O objetivo do artigo estimular uma investigao mais aprofundada dessa possibilidade. ” hora de comear a pensar um pouco mais cuidadosamente sobre o que esses canais podem realmente significar para a troca de vida, porque esses planetas esto to prximos e muitas rochas podem ser trocadas”, disse Siraj ao Space.com.

Via: Space.com

GarotoProdigio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *